Ler ou Não Ler, eis a questão!

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

O ARCO-ÍRIS de Flor Campino (6º ano - 2007/2008)


No dia 6 de Fevereiro de 2008, a escritora Flor Campino veio ao Collège do Liceu Internacional conversar com os alunos de 6º ano da Secção Portuguesa sobre o seu primeiro livro. Os alunos tinham lido previamente a obra e posteriormente elaboraram uma série de questões às quais a escritora respondeu com grande simpatia.
QUESTÕES EM TORNO DA AUTORA Flor Campino

1- Desde quando escreve histórias? (vicky)
Comecei a escrever há muito tempo, mas só quando fui para a reforma (1999) é que comecei a publicar.

2- O que é que lhe deu vontade de escrever? (mxmu)
Quanto mais se escreve, mais vontade se tem de continuar a escrever.

3- Quais foram os livros que a incitaram a escrever? (clarinette)
Os livros de literatura incitaram-me a escrever.

4- Que sensação tem ao ver que muitos dos seus livros são estudados nas aulas? (yoyox)
Fico muito contente ao ver que os meus livros são estudados nas aulas por alunos como vocês.

5- Qual foi o primeiro livro que escreveu? (SLB)
A minha primeira obra a ser publicada foi Arco-Íris.

6- Onde vive? (SLB)
Actualmente vivo entre Paris e o Porto.

7- Tem um ídolo? Se tem, quem é? (SLB)
Não tenho um ídolo… Mas em literatura, gostei particularmente de ler O Principezinho de Saint-Exupéry.

8- Está neste momento a trabalhar num livro? (SLB)
Neste momento estou a trabalhar num livro de poesia e também num livro que já escrevi há algum tempo e onde estou a fazer uma «limpeza» porque é muito longo.

9- O que a levou a escrever para jovens? (SLB)
O que me levou a escrever para jovens foi a vontade de dramatizar alguns textos com os meus alunos nas aulas com o intuito de montar pequenos espectáculos.

10- Qual o seu livro preferido? Porquê? (SLB)
O meu livro preferido é aquele que ainda não foi publicado.

11- Tem filhos ou filhas? (SLB)
Tenho uma filha.

12- Tem prazer em escrever? (25)
Tenho prazer em escrever livros, mesmo se por vezes é difícil fazer sair uma ideia da nossa cabeça. Quando o conseguimos, o resultado satisfaz-nos muito.

13- Quantos livros escreveu para o público juvenil? (25)
Só publiquei até ao momento quatro obras.

14- Flor é o seu verdadeiro nome? (dani)
Sim, Flor é o meu verdadeiro nome.

15- Como se comporta uma escritora? (dani)
Uma escritora não é mais nem menos do que outra pessoa.

16- Gosta do seu trabalho? (dani)
Sim, gosto muito do meu trabalho.

17- É sempre a mesma editora que publica os seus livros? (dani)
Sim, trata-se da Afrontamento que de resto também publica as obras do meu marido.

18- De entre as suas obras, tem alguma preferência? (dani)
Não, a minha obra preferida é sempre aquela que ainda não foi publicada. Neste caso a minha preferida é a que vai sair (Primavera de 2008), ie A Menina do Búzio.

19- Nunca pensou em escrever para um público adulto? (yoyox)
Não. Enfim, talvez a poesia que escrevo se destine mais a um público adulto.

20- Qual das suas obras lhe deu mais prazer a escrever? (yoyox)
Todas as minhas obras me deram prazer a escrever.

21- Tem algum sítio, ou companhia, especial para ter a inspiração necessária para escrever? (yoyox)
Não especialmente, mas gosto de trabalhar no escritório de minha casa ou num canto de café.

22- Nasceu numa família de escritores ou foi por outro motivo que decidiu escrever? (yoyox)
Não, a minha família era mais da área das Belas Artes. Mas casei-me com um escritor, Fernando Echevarría!

23- Tem algum escritor como modelo? (yoyox)
Não, não tenho nenhum escritor como modelo.

QUESTÕES EM TORNO DA OBRA Arco-Íris

1- Porque dedica o seu livro a António e Clara Quadros? (RT)
Dedico o meu livro a António Quadros, porque era um modelo de aluno na escola de Belas Artes. Fomos colegas. Também conheci a mulher. Ouvi muitas histórias sobre ambos e por isso escolhi António para me exprimir sobre pintura.

2- Porque escreveu o livro Arco-Íris? (SLB)
Por ser um conjunto de cores e como eu queria escrever sobre esse assunto...

3- Este livro é uma biografia de António Quadros? (turma)
Mais ou menos. Há uma parte biográfica e outras partes aconteceram com outras pessoas e até comigo. Podemos dizer que é um livro que se inspira da realidade. O delírio febril de Toninho fui eu que o tive! Por outro lado, tenho muitas recordações da infância que estão reflectidas nalgumas ilustrações. Nalgumas ilustrações vê-se «ecos» do artesanato português já que António Quadros se inspirou muito no trabalho dos artesãos. Também é verdade que António Quadros recebeu da mãe, em pequenino, uma caixa de lápis de cor de presente.

4- O Toninho é António Quadros? (25)
Sim, Toninho é António Quadros.

5- Onde se inspirou para escrever este livro? (25)
Queria dar alguns conhecimentos aos meus alunos que aprendiam português em França, queria ensinar-lhes, entre outras coisas as cores, o vocabulário ilustrado.
6- Quando escreveu este livro pensava que ia ter sucesso? (25)
Não, não pensei verdadeiramente nisso.

7- A sua história não lhe parece complicada? (25)
Não, não me parece complicada. Escrevia-a com a intenção de que os alunos a lessem uma vez e que tempos depois pegassem outra vez no livro e o lessem, descobrindo coisas em que não tinham reparado antes.

8- Ficou satisfeita com este seu livro? Porquê? (25)
Fiquei mais ou menos satisfeita e gostei de o ilustrar. Mas gostava de ter feito a maquette como fiz com a minha outra obra A cabra-cabrita. Queria que o livro tivesse ficado mais simples, nomeadamente no que à colocação das ilustrações diz respeito.

9- Quanto tempo levou a escrever este livro? (25)
Foi relativamente rápido, mas foi reescrito várias vezes. Por exemplo, nos momentos em verso, tive de procurar bem o que queria e mudei muitas vezes o meu texto. Levei muito tempo a terminá-lo, a fazer as finições. Algumas ideias, neste livro, também foram difíceis de sair.

10- Quem ilustrou o livro? (turma)
Fui eu.

11- Que relação existe entre a história e as ilustrações? (turma)
A relação é… a cor! Muitas das ilustrações saíram dos meus sonhos.

12- Não há imagens de cenas da história. Porquê? (turma)
Há algumas imagens da história, sim. Há uma imagem de Toninho, de costas e isso é de propósito já que eu queria que os traços da cara dele fossem imaginados pelo leitor.

13- As ilustrações são obras reais ou surgiram com o livro? (turma)
As ilustrações surgiram com o livro. Há ilustrações de determinadas páginas cujo ponto de ligação é a cor dominante de que se fala nesse momento da história.

14- Porque escreveu o livro em verso? Isso torna-o mais difícil de ler! (dani)
A história está em prosa, só as cores se exprimem em verso. O verso permite dar musicalidade às ideias e memorizá-las melhor. Esse também foi o objectivo, pondo em destaque tudo o que surge dito pelas cores.

15- Considera que a editora gostou mesmo do seu livro? (dani)
Penso que sim, ainda que haja alguns detalhes que a mim não me agradaram totalmente. É de resto essa a razão pela qual a próxima edição de Arco-Íris sofrerá algumas modificações.

16- Foi a Flor Campino que escolheu o título do seu livro ou este foi-lhe imposto pela editora? (yoyox)
Sim, fui eu que escolhi o título, a editora respeitou o meu desejo.

Sem comentários:

QUEM É QUE NÃO QUER VER MELHOR O MUNDO?

QUEM É QUE NÃO QUER VER MELHOR O MUNDO?