Ler ou Não Ler, eis a questão!

segunda-feira, 8 de abril de 2019

E TU, A PAZ, COMO É QUE VÊS A PAZ? (Clube Unesco 2018-2019)

Projeto literário e artístico para comemorar o centenário do Armistício da Primeira Guerra Mundial

No âmbito deste projeto, os alunos trabalharam criativamente a partir do poema "A Paz sem Vencedor e sem Vencidos" de Sophia de Mello Breyner Andresen. Foram divididos em grupos para reagir a esse poema criando textos-resposta inicialmente escritos em português (e posteriormente traduzidos para francês). Aqui ficam os trabalhos criativos da turma do 9º ano da Secção Portuguesa:


quarta-feira, 3 de abril de 2019

Ao encontro de Gil Vicente pela mão de Catarina Barreira de Sousa

Os alunos do 9º ano (3e), depois de lerem esta obra e de terem mergulhado no teatro vicentino, foram desafiados a publicitar o livro criando trailers, ou melhor dito, vídeos promocionais. Aqui ficam as diferentes criações.

Se uns vídeos conseguem fazer alusões a vários momentos do enredo...














... outros vídeos acabam por fazer poucas alusões ao conteúdo da obra, como se pode perceber a seguir:



















segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

A PALAVRA DO ANO 2018 é...




Os alunos de 3e/9º ano também escolheram a sua palavra do ano 2018 a partir da lista da Porto Editora, antes da escolha da PE ter sido feita, e apesar da viverem longe de Portugal.

Aqui ficam os resultados do polo do LI...
e do polo do PMC...
 

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Exposição fotográfica - O Portugal de Torga




Esta sexta-feira, dia 30 de novembro tivemos a honra de receber Dominique Stoenesco na biblioteca da nossa escola em torno da sua exposição fotográfica «O vale do rio Douro – Nos passos de Miguel Torga «Um Reino Maravilhoso». Foi assim que descobrimos um pouco da obra de Miguel Torga e de como se constrói uma exposição fotográfica. Aqui ficam algumas das ideias partilhadas com a nossa turma:

→Dominique Stoenesco leu primeiro atentamente a obra Portugal de Miguel Torga e anotou as passagens que mais o marcaram;
→entrou em Portugal de BTT e seguiu o rio Douro fazendo paragens em vários locais antes de chegar ao Porto para fotografar o que Torga havia referido na sua obra;
→procurou criar um diálogo entre o texto e a fotografia com o intuito de ajudar a compreender a obra de Torga;
→fotografou paisagens transmontanas dando especial destaque a Pinhão e à sua estação com os seus vinte e quatro painéis de azulejos que contam a história da localidade;
→chamou a atenção para alguns cuidados a ter quando se fotografa (o saber aproveitar a luz do dia; a luz doce que favorece os contrastes na paisagem e ajuda a tirar boas fotos; deve partir-se do geral para o particular);
→ao montar a sua exposição fotográfica inspirou-se nos mosaicos para agrupar quatro fotos que colocou juntas para formarem um painel de mosaicos.

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

QUEM É QUE NÃO QUER VER MELHOR O MUNDO?

QUEM É QUE NÃO QUER VER MELHOR O MUNDO?