Ler ou Não Ler, eis a questão!

sábado, 23 de janeiro de 2016

EXPRIMINDO UMA OPINIÃO SOBRE A OBRA «Romeu e Julieta» de William Shakespeare adaptada por Toni Brandão



     Dá a tua opinião fundamentada sobre o Romeu e Julieta de William Shakespeare. Qual o interesse de ler uma adaptação da obra do dramaturgo inglês no século XXI? Responde baseando a tua resposta nesta ou noutras questões que te ajudem a melhor exprimir o teu ponto de vista. (entre 130 e 160 palavras)


I)
      «Será interessante ler Romeu e Julieta no século XXI ?» Esta obra é como imortal, toda a gente a conhece, e vamos ver por que me parece que seria essencial lê-la.

     Primeiro, ler uma história é, quando divertida, um prazer. Penso que esta peça de teatro é interessante, apesar de triste, porque a história é globalmente simples, há poucas personagens e podemos, lendo-a, tomar a defesa da família de que mais gostamos, isto é, escolher entre os Montéquio e os Capuleto.

    Também acho que é essencial lê-la, porque foi escrita pelo dramaturgo inglês William Shakespeare, considerado por muitos o maior dramaturgo inglês. Por isso, para mim, é essencial ler ao menos uma das suas obras, podendo assim conhecer este mestre da literatura.

      Ao ler Romeu e Julieta, estamos como que dentro da Itália do Renascimento, o que pode ser uma experiência extraordinária.

       Esta obra encerra uma moral que pode ajudar-nos a que este tipo de morte (um casal morrer por amor) não aconteça na vida real.

      Por estas razões é essencial ler esta obra. (AC)

II) 
     A obra Romeu e Julieta de William Shakespeare é um livro conhecido no mundo inteiro que foi adaptada por Toni Brandão à língua portuguesa, no século XXI, ou seja cinco séculos depois de ter sido escrita.

    Esta adaptação permite aos jovens conhecer uma das obras mais famosas do mundo, o que é essencial para a nossa cultura geral. Outro aspeto interessante da leitura deste livro, é que se trata de uma peça de teatro em que descobrimos os costumes e muitas outras informações sobre a vida na cidade italiana de Verona no século XVI. Pessoalmente, já tinha visto uma representação da peça Romeu e Julieta, mas depois de ter lido pela primeira vez o livro, tive vontade de ver outra representação.

     Hoje em dia, a fonte de muitas obras de amor é Romeu e Julieta e, por isso, acho essencial ler o livro. Gostei de o ler e acho que a adaptação de Toni brandão corresponde à versão original do livro de Shakespeare. (LS)


III)

      É sempre útil e interessante ler a obra de William Shakespeare. Esta história de amor é uma obra fundamental da literatura universal. É essencial ter um conhecimento mínimo desta história. E esta adaptação de Toni Brandão permite-o.

       Considero Romeu e Julieta uma lindíssima tragédia de amor, a cidade de Verona e os lugares onde se desenrola a ação são descritos admiravelmente ( o cemitério e o baile dos Capuleto… ).

Eu já conhecia a história de Romeu e Julieta, mas tinha-me esquecido de alguns pormenores, que achei interessante encontrar de novo. Como a primeira amada de Romeu, Rosalina, e o projeto do casamento de Julieta com o Conde Páris… Também adorei ler novamente a maravilhosa cena, no fim da história, em que Romeu se apressa a beber o veneno e a morrer por amor.

         Gostei muito da adaptação de Toni Brandão, ele manteve todas as características originais da obra de Shakespeare. O vocabulário e as falas das personagens não são complicadas. Tive um grande prazer em ler esta adaptação do autor brasileiro. (MG)

IV)
Este livro é uma adaptação de Toni Brandão do clássico de William Shakespeare, Romeu e Julieta, que conta a trágica e triste história de dois jovens amantes separados por famílias rivais, os Capuleto e os Montéquio.

Gostei muito de ler esta obra, porque achei muito linda, apesar de ser trágica. Vemos que o amor impossível dá origem à morte dos jovens o que é muito triste, porque no final queremos que tudo dê certo e que possam viver felizes, o que não acontece.

No entanto, é muito bonito ver que os dois jovens amam-se verdadeiramente ao ponto de mataram-se para não se separarem porque no dia de hoje muitas pessoas casam-se sem se amarem e sem saberem o que estão a fazer.

Estes jovens têm muita coragem, porque apesar de suas famílias serem inimigas, eles fazem tudo para não se separarem.

Esta adaptação tem uma linguagem mais fácil do que o clássico de Shakespeare e permite-nos entender mais facilmente a história.

É um livro maravilhoso, cheio de emoções que permite-nos entender até onde pode ir o amor profundo entre duas pessoas que querem, mas não podem, ficar juntas! (MB)

V)
     Pessoalmente, gostei de ler a adaptação da obra "Romeu e Julieta", não por ser uma adaptação, mas porque gosto desta obra. No entanto, a história dá-me um sentimento de angústia: Romeu morre poucos segundos antes de Julieta acordar, tudo por causa de uma carta que não foi entregue. Mas o que me pertubou mais na leitura desta obra, foi o facto de Romeu, no final, ter a carta à sua frente, e no entanto não a ler, pois estava demasiado concentrado na sepultura da sua amada. Gostei também do facto de esta história ter um final bastante dramático e sobretudo infeliz (para variar da maior parte de outros contos em que tudo acaba bem).


     Acho que é uma boa ideia ler uma adaptação desta obra mundialmente famosa, pois podemos ter uma visão diferente desta história já que não é Shakespeare a contar: cada autor tem a sua maneira de relatar uma história, mesmo se esta for a mesma. Para alguns leitores poderá ser mais fácil interpretar uma adaptação, esta adaptação – não podemos esquecer que a versão original desta peça tem um vocabulário difícil para alguns leitores. (ACR)

VI)

          Eu acho interessante ler a adaptação da obra Romeu e Julieta de William Shakespeare, pois é muito mais fácil de entender do que a versão original. Acho também interessante saber como viviam as meninas de 14 anos naquela época, pois eu tenho 14 anos e ao contrário de Julieta eu não penso em casar. 

          Este conto mostra também que o ódio entre duas famílias não vai levar a nada a não ser à morte, como foi o caso para Romeu e Julieta, que se suicidaram porque não queriam ficar separados um do outro.

        Acho bom que as pessoas da minha idade leiam esta história no século XXI pois assim percebem que no passado a vida era dura para as meninas da minha idade. Esta leitura também pode servir para evitar que o que aconteceu na história não volte a acontecer de novo.

       Gostei desta história pois ela é uma linda história de amor romântico. Mesmo tendo sido escrita há muito tempo, ela continua a ter atualidade. (GCF)

VII)

           A adaptação da obra “Romeu e Julieta” de Tony Brandão foi um livro que eu gostei de ler. Está bem ilustrado, mesmo havendo poucos desenhos, e está bem escrito pois é fácil compreender a história. Eu preferi as partes da história que tinham mais “suspense” - quando, por exemplo, não se sabe se Romeu e o seu primo irão à festa dos Capuleto - e mais ação - quando na praça se reunem membros das duas famílias, Montéquio e Capuleto, e começam a lutar entre si.

          Do meu ponto de vista, o único defeito desta história é o romance entre Romeu e Julieta, este ocupa uma grande parte do livro e eu, pessoalmente, não aprecio romances, sou mais adepto de livros de ação. Também me pareceu que se repetem muitas vezes as mesmas cenas entre o jovem casal apaixonado, como por exemplo as cenas nas quais eles se beijam e se despedem. Também achei Romeu e Julieta uma obra demasiado dramática. (PS)

VIII)


        Ler a adaptação de Romeu e Julieta foi para mim uma boa experiência. A adaptação foi bem realizada, pois a história é semelhante à obra original de Shakespeare. Eu gostei muito desse livro, porque ele parece-se muito com os livros que eu gosto de ler. Sempre queremos saber o que vai passar-se a seguir e por vezes queremos intervir nos acontecimentos como quando Romeu, no fim da história quer matar-se porque pensa que Julieta morreu.

      Para mim, o único ponto negativo, é o fim da história. Quando Romeu e Julieta estão definitivamente mortos só temos algumas linhas a explicar-nos o sucedido num final muito breve. Frei Lourenço conta tudo o que aconteceu e as famílias põem termo às rivalidades. Tudo isso sem quaisquer detalhes! Ora eu queria conhecer a reação de alguns membros das famílias.

        Concluindo, essa obra de Toni Brandão é uma boa adaptação da peça inglesa e é por isso que a aconselho a todas pessoas  que quiserem ler um clássico mais facilmente, bem como a todos os que gostam de tragédias. (AR)



Sem comentários:

QUEM É QUE NÃO QUER VER MELHOR O MUNDO?

QUEM É QUE NÃO QUER VER MELHOR O MUNDO?